domingo, maio 14, 2006

FEIJOADA DO TI'CHICO


O Ti'Chico era viúvo e passava os dias na horta que possuía próximo da aldeia.Sempre impecávelmente tratada,ali criava um porquito,2 ovelhas,alguns coelhos e galinhas.
Ainda antes de"romper o sol"já as botas cardadas do Ti'Chico,soavam nas pedras da calçada lisa e luzidia,polida por muitos anos de uso.
Sempre de chapéu preto de aba larga,barba que só via a navalha uma vez por semana,safões castanhos de pele de ovelha,colete cinzento muito coçado,de cuja algibeira emergia uma corrente que voltava a desaparecer na algibeira oposta e que o Ti'Chico puxava de vez em quando,trazendo a reboque um velho relógio que consultava atentamente na palma da mão, a tiracolo um enorme e ruço guarda-chuva,e que fazia também serviço de guarda-sol,dependendo das condições climatéricas.
Um dia,ainda jovem e a pretexto de"caçar"uns peixitos no enorme tanque de rega da horta,fui encontrar o nosso hortelão frigindo cebola picada, alho e rodelas de chouriço em azeite,numa velha panela exteriormente tisnada por muitas labaredas,oriundas de vides retorcidas e raizes de enegrecidas estevas que o Ti'Chico utilizava como combustivel para cozinhar.
Meteu-lhe em cima uma porção de vermelhusco feijão patareco,demolhado da véspera e pra'li esteve mexendo e remexendo com uma colher de pau que ele próprio talhara de um ramo de laranjeira,com a inseparável navalha que sempre o acompanhava no bolso das calças presa ao cinto por uma corrente metálica.
Verteu-lhe uma golada de água que fumegava dentro de um pote de ferro que mantinha permanentemente sobre as brasas,migou-lhe para dentro um enorme tomate madurinho,que eu próprio colhi lá em baixo junto da nora,uma folhita de louro,uma malagueta,e tapou a panela que ficou num exaltado e oloroso borbulhar.De tempos a tempos interrompia os trabalhos agricolas para repôr a água que se ia perdendo por evaporação.
Quando achou que os feijões já estavam macios,juntou-lhe batatas descascadas e partidas em pequenos pedaços(na giria culinária chama-se "corte em camponesa")e tapou novamente com a tampa que parecia ter sido alvo do ataque de algum fanático martelador,de tão amolgada que estava.
Uns minutinhos mais tarde puxou a panelita mais para a beira,onde o calor não era tão intenso,meteu um raminho de hortelã,e abrindo uns pequenos"ninhos"com a colher,depositou aí(depois de partidos) quatro ovos de galinha que ficaram num suave,doce,e quase imperceptivel fervilhar.
"Vocemecê na vai gostar!tá acostumado a comeres finos lá da cidade!"Quando matar um borrego vou convidá-lo p'ra uma caldeirada à minha moda.
O Ti'Chico estava muito enganado,"comeres"finos eram estes!Faço esta feijoada muitas vezes,mas nunca uma que me soubesse tão bem.

21 comentários:

Santa Cita disse...

Vivó Ti'Chico!

Tareca disse...

Oh Mestre Kuka
Qu'inveja tenho eu de vomecê.
Não, nada disso, não é por mecê ter a sua costelinha algarvia, que daí eu tenho o corpinho todo.
É da caldeirada das suas costelinhas (alentejana+algarvia) e que resulta nestas maravilhosas iguarias emocionalmente e gustativamente saborosas com que nos cativa do principio ao fim da receita, que nos aguça o apetite de as cozinhar e, por outro lado, relê-las vezes sem fim.
Que mais dizer da sua feijoada (ou do TiChico, como queira)?
Simplesmente ... Sublime!
Tenha um óptimo fim de semana!

kuka disse...

Ai!Esta Tareca estraga-me com mimos!é verdade,é vomecê,mais própriamente:"vomecêa".Mas como a maior parte do pessoal não compreenderia...

Tia Cremilde disse...

Mestre Kuka vim retribuir a visitinha. o seu comentário foi extremamente pertinente... lol. Apareça mais vezes... agora que descobri a sua cozinha, sou gaja para passar aqui mais vezes.

bom fim de semana! não faça nada que eu não fizesse!

Paula disse...

Que bela descrição! Fez-me lembar as panelas de ferro das minhas avós... Há coisas que nunca mais nos sabem igual, não é?

Paula Nogueira disse...

Tenho pena meu mestre... mas feijoada não é mesmo nada comigo... para alem dos gases que me fazem fico sempre cheia de ceeiro nos lábios...
Fico á espera da proxima delicia sua!
(E não se esqueça dos meus desafios... vejo o meu blog!)
Bjs
Pa

Fezoca disse...

uma feijoada com peixe?!
mesmo sem peixe, o feijao com tomate e batata ja parece delicioso. pena eu nao ter um fogao a lenha!
beijo, Kuka!

alyia disse...

Tens apresentado receitas de abrir o apetite mas acho que nenhuma tão "saborosa" como esta, não sei se por eu gostar tanto de comidas "levezinhas" ou se pelo condimento de ternura. Garanto que vou experimentar, embora saiba de antemão que não vai sair nem de perto e nem de longe tão gostosa como a do Ti'Chico.

Sandra J. disse...

Ai, que saudades da comida dos meus tempos de criança, na lareira lá de casa, que bem que sabiam essas sopas e caldeiradas!
Bjs

kuka disse...

Obrigado Ti´Cremilde,passe as vezes que lhe apetecer,é sempre benvinda.-Pois é Paula!Por vezes não são os sabores e os cheiros que mudam,somos nós!-O pior é o cieiro Paula,porque os gases...quem sabe se não poderão vir a ser aproveitados como fonte energética?com a crise do petroleo!-Fezoca,a feijoada não leva peixe,mas qualquer dia vou fazer uma de marisco.-Alyia experimenta e verás que é mesmo boa,podes prescindir do chouriço se não o quiseres juntar.-Sandra,não há por aí feijão?claro que há!e ovos também!Então?!

Elvira disse...

Gostei muito da história... e da receita!

EMN disse...

Gosto muito da feijoada da minha mãezinha...mas eu fazê-la...hum......... já é pior!
Pode ser que um dia tente.

beijos ao chef.

emn***

Carla Isabel disse...

Até me cresceu água na boca...isso não se faz a uma grávida!!!!

Bjs

Carla

Amélia disse...

Ò Chef,
Cheira bem... Cheira a comida caseira, no ar a lenha queimada e a leite de cabra.
Por falar em leite, lanço-te um desafio:
Como é que uma dona-de-casa (dos tempos de hoje) citadina, ousará querer fazer em sua casa queijo fresco?
Achas impossível? Ou parecido....
Mais fácil é comprá-los, não?
É que o teu post fez-me lembrar a minha avó, que fazia queijo com leite de cabra e "flor de cardo" e eu, nem sei que flor é essa.
Lanço-te este desafio. Sê generoso.

Pluma(princesavirtual) disse...

hmmmmm que cheirinhoooo ...bolas não posso vir aqui quando tenho fomeca :D beijosss

Sandra J. disse...

Ó Kuka, o problema é mesmo o fogão de lenha que eu acho que dá um outro sabor à comida!!!

kuka disse...

Amélia-Minha mãe faz frequentemente,queijo com leite de vaca.É óptimo!esta semana sou eu que vou fazer e postar. -Pois é Sandra!tem mesmo outro sabor,felizmente ainda tenho possibilidades de fazer fogo de lenha.Princesinha-isto não é para ti!LOL!Vamos ver se posto para aí uma saladita.

eu disse...

São os saberes populares.Parabens por os saberes aprecisar e valorizar.

Anónimo disse...

Your site is on top of my favourites - Great work I like it.
»

Anónimo disse...

Your site is on top of my favourites - Great work I like it.
»

Anónimo disse...

I find some information here.