sexta-feira, março 09, 2007

COZIDO DE COUVE Á NOSSA MODA

Este prato é, quanto a mim, o mais representativo da gastronomia desta zona. Terras que, embora situadas relativamente próximas do mar, eram, há três ou quatro décadas, essencialmente agrícolas. Área de culturas cerealíferas (Foi, em tempos, considerado o celeiro do Algarve). Nessa época, todas (ou quase todas) as famílias, possuíam nos vales de solos mais férteis e ricos em água, uma horta onde faziam as culturas de regadio, árvores de fruto, vinha, milho, batata, couves, tomate e todos os demais vegetais utilizados na alimentação. E não havia casa onde não se engordasse um ou dois bacoritos, que serviam para variar um pouco a dieta da maior parte das famílias, basicamente composta por "papas de milho". Contavam-me as pessoas mais velhas, haver quem comesse papas durante todo o ano a todas as refeições. Estas papas eram conhecidas por: "avêlas". Porque havê-las, já era uma sorte.
Tal como a Tareca disse um dia, a respeito deste prato -não me recordo de alguma vez ter ouvido outro nome que não fosse:"couve-. Continua a ser assim nos dias de hoje. As pessoas referem-se a este prato, apenas por este nome. Na realidade é um cozido à Portuguesa. Mais pobre do que este na quantidade e na variedade dos componentes, mas de uma excelente riqueza de sabores só possível pela qualidade excepcional das saborosíssimas carnes do anafado e luzidio porco preto, criado a figos e farelos. E a couve! Não sei a que variedade pertence. Conheço-a por couve branca, também por "couve de dar ás vacas". São uns repolhos enormes. Tão grandes que alguns são impossíveis de abraçar completamente, dado o seu grande perímetro. De sabor semelhante ao da couve"coração de boi" mas muito mais doce. Se quiser fazer este prato pode perfeitamente usar couve coração. Tradicionalmente faz-se apenas com: morcela (antigamente eram usadas umas morcelas grossas de salmoura), chouriço de carne, toucinho e carne de ossos. Em dias especiais metia-se um buchozito que também aqui usei. É recheado com arroz e carne semelhante à das morcelas.

As carnes são salpicadas, de véspera, com sal grosso, assim como o toucinho. Lavam-se muito bem, para retirar todo o sal e cozem-se juntamente com os enchidos numa panela com água. Depois de cozidas, juntam-se batatas, cenouras, couve e batata-doce. Mais simples não existe! Isto se fizer com couve coração. Porque esta qualidade que usei, leva pelo menos uma hora até que estejam cozidas e se possam juntar as batatas. Atenção ao sal na água da cozedura, as carnes já o contêm. Por isso prove quando meter os legumes.
Se sobrar, coma nos dias seguintes, depois de aquecida é muito mais saborosa. E no caldo pode cozer uma deliciosa massinha aromatizada com um raminho de hortelã.

25 comentários:

osnetinhos disse...

Esta couve tradicional como o mestre lhe chama e muito bem foi como eu fui criada, couve e papas de milho, que era o que os meus pais,me podiom dar, adoro tanto uma coisa como a outra pois VILA NOVA DE MILFONTES era rainha em todas essas coisascom um beijinho...osnetinhos

Tareca disse...

Que delícia Kuka. Comi disso há pouquíssimo tempo, da última vez que aí estive. Ainda parece que lhe tenho o gosto. Com todos esses ingredientes que puzeste. A morcela de salmoura (ou de salgadeira, como também lhe chamavam), é que não havia, foi da outra, do talho do "bingalinha", bem como o bucho (mólhe). Quanto à massita, essa não me convence, assim como papas de milho do caldo da dita. Mas quando era miúda comia, oh se comia!

Paula disse...

Não conhecia e gostei muito: da história e do cozido...

chalabi red disse...

Comidinha da boa, como eu gosto. Não há melhor para abrir o apetite.

turbolenta disse...

Eu também não sei o nome exacto dessas couves, mas na zona centro, no meio rural elas são conhecidas por: "couve bacalã".
E nos hipermercados nunca vi nada de nomes como este....
Embora seja um cozido um pouco "mais pobre", chamemos-lhe assim, mas deve ser também muito agardável.E quem gosta de cozido à POrtuguesa, como eu, também o deve comer bem.
boa semana
beijinhos

Nota: o homem está melhor mas tem ainda ali trabalhinho para muito tempo.Aquilo está mesmo muito pisado e inchado.
obrg

2pintas disse...

Se há um prato que tanto gosto é o do cozido à Portuguesa, com bastante couve, especialmente a couve coração, feijão verde, cenoura, batatinha e acompanhado dos deliciosos enchidos! hum que bem que sabe! de vez em quando lá vou eu a casa da minha avó "cravar" um cozidinho à portuguesa!(já ando com saudades :))
beijinhos

lifeyes disse...

Lá fiquei eu cheia de fome, ai ai

Maraffaada disse...

Hummmmmmm
Simplesmente o meu prato preferido!! Onde o como chamam-lhe "Couve à Monchique" :D e é tal e qual: com farinheira, morcela, chouriça, "mólhe", carne de porco que dão um sabor único às belas das couves!!
Post delicioso!

Pluma(princesavirtual) disse...

Olá Chefe Kuka,

estive a visitar as tuas ultimas receitas...raios estou a babar...que fomeeeeee :D

Vou experimentar aquele arroz de mexilhão! Adoro Mexilhão!!!

Beijos (recatados) está claro!

O Chaparro disse...

é emsmo bom com um belo tinto a acompanhar

Elvira disse...

Ai, Kuka, que maravilha! :-)

Smas disse...

Bem, aqui decerto não há essa couve, mas se já tinha planeado fazer um cozido à portuguesa, agora é ponto assente que tenho de fazer!
Bjs

Amélia do Benjamim disse...

Por aqui todos gostamos muito de Cozido!
A minha afilhada tão depressa quer bifes com batatas fritas, como, supreendentemente, lhe apetece antes um Cozido, o que é um regalo de orgulho!
Beijinhos

colher-de-pau disse...

Há quanto tempo que não como um Bom cozido!!! Deve estar sublime!
Acho que um dia destes vai haver "couve" lá por casa!

Vanessa disse...

Não há nada como a gastronomia típica portuguesa. Por aqui há bastantes restaurantes portugueses e que fazem cozido como prato especial ao fim-de-semana. Mas não tem o mesmo sabor das couves, batatas e cenouras cultivadas em Portugal e das carninhas criadas nos pastos portugueses.
Só de pensar já estou a babar.

Cristina disse...

Só pelo gosto com que as couves ficam, de cozerem juntamente com os enchidos já vale a pena. Muito bom!

A Taste in Heaven disse...

Kuka, que delícia!! Sempre que passo por aqui fico admirando suas receitas e fotos!

Vivianne

Carol Emboava disse...

Faça a batata chips light e depois me diga se não tem mesmo gosto de batata frita no óleo! ;)
Ah, uma dica, ela deve ser feita pra comer na hora. Não dá certo guardar, pois ela endurece.

Suas fotos são de dar água na boca! Parabéns!

Didas disse...

Ando a arranjar coragem para as rechear mas não sei como se faz, dah!

Lídia Amorim disse...

n é por nada... Mas eu detesto couve... nhac...

mas continuo adorar os teus cozinhados** ihih

bjitux!

Lilith disse...

Ai Kuka! Possa que uma pessoa chega a casa e vem até aqui e depara-se com esta iguarias nhammmmmmmm, possa pá! Diz lá em que fogão fazes isto? Eu vou ao "teu" restaurante, levo a June a reboque (coitada continua sem net) e vamos comer até rebentar!

Lilith disse...

Ah! E já me esquecia! Para acompanhar um João Portugal Ramos!!! Que tal?

turbolenta disse...

Uma Boa Páscoa para o KUKA.
e que o seu fogão confeccione novas e boas receitas para nos despertarem o apetite.
bjs
boa semana

Cleia disse...

O que eu gosto de cá vir... Regala-me os olhos, abre-me o apetite e vou-me embora sempre com a sensação que levo mais cultura na bagagem... Porque o Kuka não se limita a despejar receitas, acaba por ensinar um pouquinho com cada sabor que nos apresenta.

Boa Páscoa!

Ludinais disse...

Este inverno a minha mãe trouxe-me desta Couve já prontinha, quando chegou a Alvito aquecemos e foi uma delícia! Também sempre comi este prato em casa (apesar de em pequena gostar mais só do caldo, porque achava a couve adocicada). (O meu pai gostava imenso de massa de caldo de couve)! Que recordações boas me traz o Kuka!